NOMES QUE QUER DIZER VOTÓRIA

Webnode
29/08/2010 13:07

 

Prefacio

 

 

Estudar nomes da Bíblia, dá nos lições e importantíssimo conhecimento, e nos enriquece.

A Bíblia é um livro por excelência, escrito por vários homens nas mais diversas circunstância, épocas e culturas diferentes, Ela revela a realidade do tempo presente.

Pensando nisso, tomamos a  liberdade de escrever sobre esse importante tema   Nomes que quer dizer vitória”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NOMES QUE QUER DIZER VOTÓRIA

Jemima, Quezia e Querém-Hapuque”

 

 

 

Texto Jó. 42.14

 

INTRODUÇÃO

 

 

 

 

Jó, um homem  de exemplo a ser seguido por qualquer cristão em provação. Sua vida é um pelo exemplo para aqueles que deixam se levar pelo desanimo frente as lutas de cada dia.

As nossas lutas podem ser caracterizada como desafio de Deus para mostra a Satanás a nossa fidelidade.

Não se preocupe se os teus amigos estão a espreitar a sua derrota. Creia que o nosso redentor viver e por fim se levantará, Jó 19.25.

Vamos estudar os nomes das três filhas de Jó, e o que isso representava para Jó depois que Deus virou o seu cativeiro.

É interessante que só aparece os nomes das filhas, e o nome dos filhos são omitidos nesse texto. Isso pode ser um segredo a ser desvendado.

 

I – GUARDANDO O ORNAMENTO DO ESPIRITO SANTO.

 

         Jó, em sua maior provação, com certeza ele nunca esqueceu dos ornamentos da beleza espiritual que o Espírito Santo nos dá.

         Quando nasce a sua terceira filha, Jó escolhe o nome que represente esse ornamento, que pode representar a beleza dos santos principalmente aqueles que guarda  com primazia os dons espirituais dado por Deus.

 

1. Querém-Hapuque: A minha beleza espiritual

 

            No Hb., esse nome quer dizer côrno da tinta, ou seja chifre de pintura, ou caixa de guardar cosmético. Esse nome é dado a moça devido a sua beleza.

         O que isso representa para nós? Quer dizer que devemos guardar o  depósito I Co 6.20.

         Jó reconhece isso, e diante de todas as calamidades o depósito estava cheio de paciência, de conforto e de esperança ao ponto de dizer: “ Eu sei que o meu redentor vive, e por fim se levantará sobre a terra” Jó 19.25

         Ainda em  Jó 29.2-4  “Ah!  Quem me dera ser como eu fui  nos meses passados, como no dia que Deus me guardava! Quando fazia resplandecer sua candeia sobre mim, e eu como a luz, caminhava pelas trevas; como era nos dias de minha mocidade, quando o segrede de Deus estava sobre a minha tenda.

         A esperança de Jó nesse texto parece estar preste a desfalecer, mas Jó nunca deixou se levar pelo sentimento de desfavor de Deus em sua vida.

 

2. Querén – Hapuque: A minha esperança

        

         Mesmo em todo o seu lamento e sofrimento, Jó vê uma luz no fundo do túnel, ainda que em lembrança do passado, mas não esquecendo dos benefícios de Deus em sua vida.

         Nos capítulos 38 ao 41 , Deus começa restaurar a esperança, começa a fazer algumas indagações a Jó: Jó. 38.3  e  Jó. 40.7 “Cinge o teu lombo como homem (varão); e perguntar-te-ei, e, tu responde”.

         Em todas as perguntas que Deus faz a Jó, Ele expressa lembranças quase esquecidas pelo patriarca. Nós temos tendência para esquecer muito fácil dos benefícios do Senhor, com Jó não foi diferente, mas devemos usar a mesma expressão que o salmista usou quando disse: Sl. 116.12 “Que darei eu ao Senhor por todo os seu benefícios  que me tem feito”. Jó não tinha nenhum outro motivo, se não recompensar a si mesmo com um nome que faz  lembrar esses benefícios que resultou em esperança, “Querén – Hapuque¸ minha esperança”. A maior esperança de Jó é visto já no citado versículo anterior; “Eu sei que  o meu redentor vive, e por fim se levantará”.

         A esperança de Jó estava quase esquecida no tempo, mas Deus jamais se esquece de nós “Ainda que a mãe esqueça do filho que amamentou, eu jamais esquecerei de vós”.

        

3. Querán – Hapuque -  Guardar o bom depósito

         Paulo exorta a Timóteo a guardar o bom depósito; I Tm 6.20 “Guarda o bom depósito que te foi confiado”. A beleza espiritual de Cristo em nossa vida deve ser guardado, ainda que em vaso de barro para que a excelência da gloria  seja para o  Senhor, 2 Co. 4.7-8 “Temos, porem, esse tesouro em vaso de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós. Em tudo somos atribulados, não angustiado; perplexo, mas não desanimado. 2 Co 4.17 “Porque a nossa leve momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de gloria mui excelente”.

         Jó no capitulo 42.5, abre o portal da esperança quase adormecida, quando expressa dos recôndito da alma, “Com ouvido dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem aos meus olhos”. Isso quer dizer, que guardou as palavras do senhor para não pecar contra ele. Sl. 119.11 “Escondi a tua palavra no meu coração para não pecar contra ti”

         Esse Salmo confere com a vida pura e santa do grande homem chamado Jó quando aconselhado por sua esposa no capitulo 2.9 “Então, sua mulher lhe disse: Ainda retém a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus e morra”. Porem, Jó que guarda o bom depósito na beleza do colorido da glória, expressa no mais profundo do intimo a sua esperança; Jó 2.10 “Como fala qualquer  doida, assim falas tu, recebemos o bem de Deus e não receberíamos o mal? Em tudo isso não pecou Jó  com seus lábios”.

         A carta de Paulo aos Romanos, é o sábio conselho para aqueles que querem imitar  a esperança de Jó,  Rm 12.12 “Alegrai-vos na esperança, sede paciente nas tribulação, perseverai na oração”. Querén – Hapuque,  esperança guardada, brilho de Cristo, palavra no coração, esperança no futuro e restauração no presente.

         Jó tinha razão de sobejo para dar esse nome a sua filha. Ainda que em tribulação, angustiado, porém, manteve a sua integridade de um homem justo do qual Deus deu testemunho  à Satanás.

         Deus nos de graça para sermos suas testemunhas vivas como foi o grande Jó.

 

4.  Restaurando  tudo

         No capitulo 42.10, Deus vira o cativeiro de Jó, acrescenta o dobro, restaura os amigos, e Jó é adornado novamente. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
III – O AROMA DA ORAÇÃO NA VIDA DE JÓ

         Parece intrigante falar de aroma da oração na vida de Jó. Mas é isso mesmo que representa a nome de sua segunda filha.

 

1. Quézia – Cássia – minha oração

         Essa palavra vem do Hb.  e significa enrugada, e em português,  Cássia. Essa planta aprece na composição do óleo da Santa Unção em Ex. 30.24. É uma planta que cresce na Caximina cerca de 2600 a 3000 metros acima do nível do mar. A Vulgata Latina traduz a palavra com “mirra líquida”, a Septuaginta (LXX) diz “iris”. No Salmo 45.8 ela é apresentada como perfume quando diz:  “todas as tuas vestes cheiram mirra, a aloés,  e a cássia, desde os palácios de marfim de onde te alegram”.

         Interessante que suas raízes são queimadas em templos chineses no lugar de incenso, devido a sua flagrância aromática.

          Ao estudarmos Quézia ou Cássia, dividindo-a em duas porções simbólicas, unção ou ungido, e, oração quando se relaciona com o incenso.

         Vejamos, que Jó era um homem de oração. A Bíblia nos informa que quando seus filhos faziam festas ou banquetes em casa cada um no  seus dias, Jó oferecia sacrifício a Deus, 1.5 “Sucedia, pois, que,   tendo decorrido o  turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o numero de todos eles; porque dizia Jó: Porventura, pecaram meus filhos e blasfemaram de Deus em seu coração. Assim fazia Jó continuamente”.

         A flagrância do sacrifício subia perante a face de Deus, como uma oração em forma de incenso.

         Jó, lembra desses momentos sagrados de intercessão e busca de perdão para seus filhos, quando todos esses haviam sidos levados para os braços eternos de Jeová, mas, que, agora, Deus lhe dera outros em lugar desses. Assim, Jó escolhe nome que dá significado espiritual, para relembrar  dos grandes benefícios que o Senhor Deus pode realizar através da oração de um homem “sincero, e reto, e temente a Deus, que se devia do mal”.  Esse era o retrato de Jó, cujo testemunho foi reconhecido, quando Deus falou de Jó à Satanás.

 

2. Quézia, a minha vitória         

         Nenhuma vitória é ganha sem oração; os maiores homens da Bíblia foram homens de oração, de vida casta e consagração. A vida de oração desse homem chamado Jó, é comprovada mediante a sua expressão confiante diante da perca de seus filhos, Jó 1.19. Em vês de lamentar, como é o caso de muitos em nossos dias, ao contrario, Jó toma uma atitude louvável e invejável por qualquer homem que se diz cristão. Jó 1.20 “Então, Jó se levantou, e rasgou o seu manto, rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e” “adorou”

         Depois dessa calamidade da perca de seus filhos, Jó tinha motivo de sobeja para desanimar, fugir da oração, entrar em profunda depressão, Mas “Quézia” era a sua vitória. Jó dá um brado de vencedor, que para mim é o maior, depois do brado de Jesus na Cruz quando disse: “Pater telestai”, (que quer dizer “pai está consumado”), depois do brado de Cristo, o de Jó é o maior quando ele diz: Jó. 1. 21 “Nu sai do ventre minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor”. Jó 1.22 Em tudo isso não pecou Jó,  nem atribuiu a Deus falta alguma”.

         Somente na oração que o crente em Jesus encontra forças para vencer as diversidades sem mesmo reclamar, ou culpar a Deus por tais situações, sabendo que Deus é justo e imparcial, e que não nos trata conforme nos trata os homens,  e isso só podemos compreender mediante a vida de oração que nos mantém na mais alta intimidade com Deus, como uso sempre dizer, que, a oração é o dicionário da alma que traduz as nossas necessidades, mesmo sem pronunciarmos uma só palavra, Deus entende, tal como a oração gemida de Ana no templo, não entendida pelo sacerdote Eli, mas compreendido pelo grande Senhor dos Exércitos, e seu nome é “Jeová”.

         Como é difícil adorar nos momentos de dificuldade. Adorar a Deus quando tudo está perdido, porém , foi isso que Jó fez “adorou”.

         A adoração é mais que uma simples postura e gingado de corpo. Em latim é “adorationem” isto é, orar a alguém; ainda, quer dizer: “reconhecer a soberania de Deus” sobre o universo, governo moral e força de seu decreto. Em Hb, “sãhâ”  Gr. “proskyneo”, ambos os termos quer dizer o ato de prostração e adoração.A verdadeira adoração está associada ao amor que devotamos a Deus. Tem que ser um ato permanente na vida dos filhos de Deus. Não pode ser atitude episódica. Tudo em nossa vida deve ressaltar nossas atitudes de adoração. Todo essa atitude na vida de Jó foi representada pelo nome que deu a sua filha “Quézia ou Cássia”. Precisamos colocar aroma em nossa vida, precisamos do bom cheiro Cristo, conforme registra Paulo em  2 Co 2.14,15. Precisamos acima de tudo do aroma da unção que como óleo suave sobre as nossas cabeça. É na oração que Deus derrama a unção. Coloquemos “Quézia” em nossas vidas. Aleluia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

III – JEMIMA ( Ou Jemina).

         A vida de Jó, também é marcada pela presença do Espírito Santo, ainda que nessa época o Espírito Santo não havia sido derramado, como em nosso tempo, mas, somente em ocasião especial, sobre homens especiais, no entanto, “Jemima” representa exatamente isso, “Espírito Santos”.

 

1 – Jemina – Hb Pombo

                   Esse é nome da filha mais velha de Jó, depois que Deus restauro a sua vida restituindo tudo que havia perdido durante a provação que sofrerá. O pombo ou pomba é uma ave que tem visão de 360 graus, podendo enxergar  tudo a sua volta. Isso representa a capacidade universal do Espírito Santo em conhecer todos os nossos sentimentos, o nosso fazer, e as necessidades e  a individualidade de cada um. O Espírito Santo nos dias atuais foi nos dado como penhor ou garantia de nossa salvação. Jó tinha a viva esperança que só o Espírito Santo pode dar ao cristão em meio as lutas e provações em poder expressar como fez Jó:  Jó. 19.25,26 “Porque eu sei que o meu redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra. E depois de consumida a minha pele, ainda em minha carne verei a Deus”.

         Com isso podemos expressar que havia consolo na vida de Jó, cujo consolo era alimentado pela esperança de ver Deus, e isso quem faz é a operação do Espírito Santo na vida do ser humanoO Parákleto”   em Gr. Que indica o consolador prometido por Jesus.

         Eu creio que Jó desconhecia esse pessoa, ou, seja, a terceira pessoa da trindade “O Espírito Santo, mas como a Bíblia é um livro por excelência, escrito em épocas diversas, e por diversas pessoas, mas em uma só harmonia, isso levou a Jó deixar a sua marca de conhecimento e experiência e intimidade com Deus, ao dar a  sua filha o nome que representa a atuação do Espírito Santo nas horas mais difíceis de nossa vida. O Espírito Santo é o agente de vitória na vida de cada cristão.

2. Jemima, Deus é a minha esperança.

         No ponto I. II,  falamos de Querém-Hapuque – A minha esperança, porém, nesse ponto vamos abordar “Deus é a minha esperança”

         Jesus antes de sua partida, ele nos deixa  esperança através da promessa que nos  enviaria o consolador que ficaria conosco para sempre. Jo. 14.16 “Eu rogarei ao pai, e ele vos dará outro consolador, para que fique convosco para sempre”.

         Jemima, a presença constante do Espírito Santo conosco. Assim a vida de Jó era alimentada em meio a grande prova por esperança que não vinha de promessas humanas, e sim na convicção de que Deus um dia levantaria a seu favor restaurando a sua sorte.

        

3. Jemima, a minha restauração

         No capitulo quarenta e dois, Jó é levantado, é restaurado quando Deus começa a conversar com ele. Jó 42.4 e 5 “Escuta me,  pois,e eu falarei; eu te perguntarei, e tu ensina-me”.  Versículo 5, Jó responde: “Com o ouvir dos meus ouvidos, ouvi, mas agora te vêem os meus olhos”.

         Deus restaura a visão espiritual de Jó, que até então apenas ouvia a falar de Deus, mas agora pode contemplá-lo através da restauração espiritual que Deus operou em sua vida.

         Hoje, na atual dispensassão , o Espírito Santo ainda continua a restaurar os caídos, aqueles que deixaram a vida espiritual, e estão no monturo de lixo deste mundo.

         Em Jó.  42.10 “E o Senhor virou o cativeiro de Jó, quando orava pelo seus amigos; e  o Senhor acrescentou a Jó outro tanto em dobro a tudo quanto dantes possuía.

         O homem pode  perder tudo, mas quando reconhece a vontade de Deus em sua vida, o Espírito Santo concede a ele em dobro, para provar para Satanás que Deus é maior, e vai recuperar todo o tempo que Satanás impediu que Deus usasse tal homem.

         Meu querido irmão, tal vez esse material chegou em suas mãos, e como Jô, já perdeu algumas coisas; amigos, colegas, emprego, ou está sendo empurrado para o canto, ou puxarão seu tapete; não se preocupe, Deus está no controle de sua vida, e no tempo certo Ele vai restaurar tudo novamente. Eu termino com Ct. 2. 11-12 “ Porque eis que passou o inverno: a chuva cessou e se foi. Aparecem as fores na terra, o tempo de cantar chega, e a voz da rola  ouve-se em nossa terra.” O Espírito Santos vai voltar a cantar, porque o inverno espiritual está passando, a chuva da tribulação está cessando, já posso ouvir o cântico da rola (Espírito Santo) soar. Versículo 13.b “Levanta-te, amiga minha, formosa minha, e vem”. Amém, amém.

 

 

CONCLUSÃO

 

         Por ser o livro  de Jó   o mais antigo da Bíblia, nós podemos concluir que Deus em todos os tempo, épocas e povos, sempre operou de diversas formas.

         O caso de Jó parece nos até uma lenda, onde Deus permite que o adversário use esse homem para testar a sua fidelidade para com o Deus todo poderoso. No entanto, Deus só deixa Satanás tentar na medida que podemos suportar. A prova de Jó nos deixa esse grande exemplo. Satanás só foi até a onde Deus permitiu. A vida de Jó foi preservada, e tudo isso para nos deixar o maior exemplo de fé e confiança que jamais alguém  conseguiu vencer como venceu o “Justo e temente a Deus e que se desviava do mal”. Somente ele “Jó”. Amém, amém

Webnode