JOÃO BATISTA – O ÚLTIMO PROFETA DO ANTIGO PACTO

19/08/2010 21:52

Texto Mt. 11 7-15

Texto áureo:

A lei e os profetas duraram até João; desde então, e anunciado o Reino de Deus, e todo homen emprega força para entrar nele (Lc.,16.16)

Introdução:

Nesta lição estaremos estudando aquele que Jesus chamou de o maior. Por que será que Jesus usou essa expressão? A resposta é simples; os profetas do Antigo Testamento profetizaram sobre Jesus, mas não tiveram o privilegio que João teve, não apenas de profetizar sobre Jesus, mas também preparou o caminho para o ministério de Jesus, viu Jesus e o batizou . Isso faz de João Batista um dos maiores profetas.

João fez o elo de ligação entre a Antiga Aliança (lei) com a Nova Aliança (graça), por isso ele é tanto  ultimo profeta do Antigo Testamento como o novo anunciado do evangelho da Graça.

 

I. A ORIGEM DE JOÃO BATISTA

 

1. Sua Família.

João veio de uma família sacerdotal, cujo pai Zacarias também era sacerdote. Ele possivelmente tenha nascido entre 4 e 8 a.C. e seu ministério talvez tenha iniciado entre o ano 26 e 28 d.C.

Seu pai o sacerdote Zacarias era casado com Isabel possivelmente prima de Maria mãe de Jesus.

Zacarias fazia parte da linhagem sacerdotal de Abias que era a oitava na organização feita por Davi, o segundo rei de Israel.

Zacarias recebeu a revelação do nascimento de João quando ministrava no santuário segundo o turno que lhe coube, que possivelmente se dava uma vez na vida, devido o grande crescimento da classe sacerdotal  (Lc. 1.8 e 9).

2. Seu nome e seu nascimento

 

João nasceu na região montanhosa da Judéia, cujos pais já eram avançados de idade.

O anjo do Senhor apareceu junto ao altar no momento que Zacarias entrou para oferecer incenso (Lc 1.9).  Zacarias se turbou e o anjo anunciou que suas orações foram ouvidas. Izabel que era estéril conceberia e daria luz um filho, cujo nome seria João, ainda que esse nome não tivesse nada haver com a família de Zacarias.

Seu nome João Batista – Batista porque batizava, logo seu nome significa o “batizador”.

 

3. Sua estatura espiritual e sua missão.

O anjo disse que ele seria grande diante do Senhor e cheio do Espírito Santo, e tinha como missão converte os filhos de Israel a Deus, prepararia o caminho do Senhor, isto é, preparava um povo bem disposto.

 

II. PERSONALIDADE DE JOÃO BASTISTA

 

1. Testemunho de Jesus

 

Após ter batizado Jesus, João foi preso, mas as boas noticias a respeito de Jesus chegaram até João e ele envia dois de seus discípulos para confirmar se Jesus era o que havia de vir ou deveriam esperar outro.

Jesus então manda dizer ao João que; os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são limpos, e os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e aos pobres  é anunciado o evangelho (MT. 11.4-5).

Por que João duvidou? Como qualquer ser humano, João não foi diferente. Nas horas difíceis da vida a duvida tenta diminuir a nossa fé, tenta colocar duvida em nossa mente e as vezes até vacilamos; com João não foi diferente, mas o mestre estava perto, e seus milagre fizeram João ficar mais forte e confiante.

 

 

 

2. Sua espiritualidade e vocação

 

O povo ia ao deserto para ouvir as mensagens de João. Nesse contesto o Senhor afirmou que o povo não foi ao deserto para ver uma cana agitada pelo vento, mas sim um profeta, um homem destemido e cheio do Espírito Santo.

João chamava o povo ao arrependimento e não temia os poderosos. João não vendia diante das  ameaças e circunstância oposta ao seu ministério.

O compromisso com o reino de Deus falava mais alto que a espada, ainda que sua cabeça  em um prato fosse dada a filha do rei.

Deus precisa levantar muitos João Batista nos dias que estamos vivendo, que se preocupe com a obra e o reino de Deus.

 

3. Sua personalidade.

 

João tinha um traje simples. Não vestia roupas palacianas, mas apenas vestimentas feitas de pelo de camelos.

Quem esperava ver um João ricamente trajado não deveria ir ao deserto.

As suas vestes eram simples, como simples é o evangelho de Cristo, mas poderoso para salva as almas que cambaleia indo a passos rápidos para a perdição.

Pelo que parece, João só tinha uma mensagem “Raças de víboras”. Com certeza com esse tipo de mensagem, João só pregava uma vez em nossas igrejas, e certamente não seria encarcera em uma prisão, mas seria posto  de lado como um que perturbador a ordem. Ficaria aprisionada em seu psique em buscar de solução  e resposta para suas indagações.

Em nenhum tempo, homens de Deus foram bem aceitos quando combateram o pecado e tentaram extirpá-los pela raiz.  João tinha essa personalidade e colocava-as em suas mensagens.

João possívelmente eram um nazireus, permitindo que seus cabelos crescessem e não aparava o canto de sua barba. Evitava o vinho e toda bebida forte e vivia como um asceta.

Diz que João cresceu e se tornou forte, habitando no deserto até o tempo de sua manifestação a Israel, ainda que se acredita que ele morava nas regiões montanhosa da Judéia.

 

III. JOÃO BATISTA , O ULTIMO PROFETA

 

1. Muito mais que profeta

 

A vida de João Batista visava preencher um propósito todo especial , ou seja, o de ser precursor  do Messias. Pouco se sabe do período da pregação de João Batista.

Ele foi uma figura profética que se assemelhou aos profetas do Antigo Testamento sobre tudo como Elias  (Mt. 5.4) e ( II Rs 1.8).

Aos autores do Novo Testamento ensinavam que ele cumpriu a profecias de Isaias 40.3 ( ver  Mat 3.3; 17. 10 -12; Mal 3.1).

João participou do ministério de Jesus, participou da salvação que os profetas apenas profetizaram.

João no meu ver, não foi apenas um profeta, mas um evangelista que levou o povo ao arrependimento e ao batismo.

 

2. O término da dispensação da Lei.

 

Como já dissemos anteriormente; em João encerra a dispensação da lei para dar lugar a dispensação da graça. Logo, João foi uma ponte entre o Antigo e Novo Testamento.

Durante quatrocentos anos, os hebreus ficaram sem profeta. Deus silenciou por um tempo com o seu povo, mas não poderia encerrar essa dispensação no escuro do tempo, e apagar da mente dos hebreus o conceito de profeta. Logo, João  inaugura um outro tempo.  Nesse tempo inaugurado por João encerra o ministério profético para dar lugar ao dom da profecia. Deus falou antigamente aos pais pelos profetas, mas agora fala-nos através do filho “Jesus”.

 

3. O Elias que havia de vir

 

O Elias que havia de vir, conforme profetizou Malaquias  4.5; O ministério de Elias e de João tinha uma certa similaridade, ou seja, os dois eram homens de desertos. Elias, o tesbita morador de
Gielade: tesbita quer dizer uma pessoa qualquer sem muita importância. Quase nada sabemos do ministério de Elias até que ele aparece profetizando para Acabe no capitulo 17 de II Reis.

João Batista, aparece no deserto da Judéia pregando o batismo do arrependimento.

No entanto, João não era a reencarnação de Elias, mas porque a missão e forma de mensagem eram iguais. Ambos tinham uma mensagem pesada, como diz o ditado popular; não tinham papa na língua.

 

Conclusão.

 

O João foi um grande homem, e de muita importância para o cristianismo primitivo.

Quando Jesus ficou sabendo da execução de  João, se retirou para a Judéia  para um lugar solitário (Mt. 14.13), quem sabe para orar e meditar e decidir o que faria sobre aquela nova circunstância . Afinal, era a morte de seu precursor, aquele que preparou o caminho conforme falou o profeta.

Deus nos ajude a cada dia entendermos mais o rico ministério de João Batista.

Tenham todos uma boa aula.

Pb. Jaime Bergamim

Contato

J A I M E B E R G A M I M

jaimebergamim@bol.com.br e jaimebergamim@gmail.com.br

Fone: XXX (41) 3537.3738
tuitter:
@bergamimjaime
http://minist-jaimebergamim.webnode.com.br
Site da Igreja:
http://igrejaaltodacruz3.webnode.com

Pesquisar no site


A terceira idade; por que devo me preocupar se sou apenas um jovem.

Veja as causas

pbjaimebergamim.webnode.com.br/news/a-terceira-idade-eu-vou-chegar-la/

ORE E DIVULGUE NOSSO SITE

Crie um site gratuitoWebnode