A SANTISSIMA TRINDADE UM SÓ DEUS EM TRES PESSOAS

15/07/2017 00:13

A SANTISSIMA TRINDADE UM SO DEUS EM TRES PESSOAS.doc (174592)

video

www.youtube.com/watch?v=c7JmChOjUio

 

Jaime Bergamim[1]

 

Texto: I Co. 12. 4-1; 2 Co. 13.13

Introdução

A doutrina da Trindade é a verdade mais crucial do pensamento cristão, mas como conciliar o monoteísmo revelado no Antigo Testamento com a divindade de cada pessoa da Trindade? Esse é o enfoque da presente lição.

A Igreja, desde a antiguidade, em várias passagens bíblicas na fé em um só Deus que subsiste eternamente em três pessoas distintas, ou seja Existe apenas um Deus em três pessoas

Fontes para estudos apologéticos acerca da trindade:

 

Concilio para definir a doutrina da trindade [[2])

Apologia de Tertuliano [[3]]

Concilio de Latrão [[4]]

 

 

I. Construção Bíblica Trinitária

1. A unidade na Trindade  - I Co 12.4-6


Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo.
E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos

Paulo aqui afirma a unidade de Deus, uma só essência e substância, em diversidade de manifestações de cada Pessoa distinta. E declara que o Espírito é o mesmo, o Senhor é o mesmo e o Deus Pai é o mesmo. É a unidade na diversidade.

- O mesmo Deus que opera tudo em todos – Paulo resume todas as manifestações em só Deus – Unidade na diversidade

2. A benção apostólica

A benção já era costumeira na despedidas das reuniões, isso prova a crença  ou consciência dessa realidade divina acerca da trindade.

A Consciência de um Deus trino, começa na manifestação a Abraão por ocasião da destruição de Sodoma e Gomorra. (Gn 18 e 19

A consciência de Gn 1.26 Façamos o homem

3. O Deus trino e uno revelado – Ef 4.4-6

4 Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação;

5 Um só Senhor, uma só fé, um só batismo;

6 Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.

  1. O Pai – é o que cria, Ele justiça, sem sombra de variedade – Tg 1.

 17 Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há oscilação como se vê nas nuvens inconstantes. 18 De acordo com a sua vontade, Ele nos gerou pela Palavra da verdade, a fim de sermos como que os primeiros frutos de toda a sua criação. Como viver a Palavra de Deus

  1. O Filho -  o resgata o pecador – Ele é a graça manifesta em Cristo

Tito 2:
11 — Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens,

14 — o qual se deu a si mesmo por nós, para nos remir de toda iniquidade e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.

  1. O Espirito Santo – é o selo e o que convence o homem do pecado

Ef. 4.30 E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, com o qual fostes selados para o dia da redenção.

 

Nos textos acima temos as características do Deus e uno revelado em épocas ou tempo diferente

 

II. Deus trino e uno

1. Uma questão crucial

Como conciliar essa questão crucial com o conceito de monoteísmo cristão, ou seja a crença em um Deus?

Não é triteísmos, ou três deuses, pois existe um só Deus, e Deus é um só.

 

2. A Trindade

O conceito mais claro na Bíblia sobre a trindade  está em Mateus 28.19

“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”.

Neste versículo reuni toda a citação de Ef. 4.4-6. É a base cristalina e central da verdade sobre o Deus trino.

III. Crenças inadequadas

1. Os monarquianistas Dinâmico [[5]]

O monarquianismo – Governo ou exercido por um único soberano – Foi combatido por Tetuliano [[6]].

Esses negavam a divindade de Jesus. Afirmavam que Jesus recebeu poder por ocasião de seu batismo, e se tornou divino por ocasião da ressureição. Essa teoria contraria Jo.1.1-3 e I Jo 1.1.3

Jo.1.1-3

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

Ele estava no princípio com Deus.

Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.[[7]]

 

I Jo. 1.1-3

O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam — isto proclamamos a respeito da Palavra da vida.

A vida se manifestou; nós a vimos e dela testemunhamos, e proclamamos a vocês a vida eterna, que estava com o Pai e nos foi manifestada.

Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo. [[8]]

 

 

2. Os monarquianistas modalistas

Deus aparece com máscara, disfarce para se revelar a humanidade. Não são três pessoas mas três faces.

Essa doutrina é chamada de sabelianismo [[9]]

3. O arianismo

Doutrina formulada por Ario - Quem foi Ario([10])

 

O arianismo foi uma visão cristológica sustentada pelos seguidores de Ário, presbítero cristão de Alexandria nos primeiros tempos da Igreja primitiva, que negava a existência da consubstancialidade entre Jesus e Deus Pai, que os igualasse, concebendo Cristo como um ser pré-existente e criado, embora a primeira e mais excelsa de todas as criaturas, que encarnara em Jesus de Nazaré. Jesus então, seria subordinado a Deus Pai, sendo Ele (Jesus) não o próprio Deus em si e por si mesmo. Segundo Ário, só existe um Deus e Jesus é seu filho e não o próprio Deus. Ao mesmo tempo afirmava que Deus seria um grande eterno mistério, oculto em si mesmo, e que nenhuma criatura conseguiria revelá-lo, visto que Ele não pode revelar a si mesmo. [[11]

 

Considerações Finais

 

Diante do que acabamos de estudar, fica claro que a doutrina da Trindade é bíblica e está provado tanto teologicamente quanto biblicamente que existe um só Deus, porem em diversas manifestações em uma mesma essência e poder.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.+



[1] Jaime Bergamim

Bacharel em Teologia, Mestrado em Psicologia Pastoral, Pedagogo, Pós Graduado em Gestão de Pessoas e Aconselhamento Bíblico.

Evangelista Convencional.

[2] O Concílio I de Nicéia é o primeiro Concílio Ecumênico, que significa universal, já que dele participaram bispos de todas as regiões onde em que havia cristãos. Teve lugar quando a Igreja já tinha conseguido a paz estável e dispunha de liberdade para reunir-se abertamente. Aconteceu do 20 de maio ao 25 de julho de 325. Dele participaram alguns bispos que ainda tinham no seu corpo os sinais dos castigos que tinham sofrido por serem fiéis nas perseguições passadas, que eram recentes.  Para estabelecer a união entre os cristãos, o Imperador Constantino I convocou o Primeiro Concílio de Niceia em 325, onde a doutrina da Trindade foi reafirmada, e Ário acabou por ser banido da Igreja como herético por não aceitar a doutrina ortodoxa fundamentada sobretudo nos pais da Igreja como Santo Irineu de Lião e Santo Inácio de Antioquia, e posteriormente sendo uma das principais para a fé cristã, incluindo Católicos, Ortodoxos e protestantes, especialmente depois de sê-la novamente reafirmada no Concílio regional de Constantinopla de 360. Para essas datas o imperador Constantino, que ainda não tinha sido batizado, facilitou a participação dos Bispos, colocando à sua disposição os serviços do exercito imperial para as viagens e os translados e ofereceu seu palácio em Nicéia de Bítinia, que estava perto da sua residência de Nicomédia. De fato, ele considerava que era oportuna essa reunião, pois no ano de 324, depois da vitória contra Licínio, tinha conseguido unificar o império, e desejava que a Igreja também estivesse unida. Nesses momentos ela estava sofrendo as consequências da pregação de Ario, um padre que negava a verdadeira divindade de Jesus Cristo. Desde o ano de 318 Ário enfrentava-se com seu bispo Alexandre de Alexandria, e fora excomungado no sínodo de todos os bispos do Egito. Ário fugira e estava em Nicomédia.  -  ( Nicomédia (nome na Antiguidade Clássica) é uma cidade hoje conhecida como İzmit, na Turquia. Situa-se no golfo de İzmit, no mar de Mármara e fica a aproximadamente 100 km de Istambul (antiga Constantinopla).) juntou ao bispo Eusébio, que era seu amigo.

[3] O maior contributo de Tertuliano para a teologia foi a sua reflexão acerca do mistério trinitário. Criou um vocabulário que passou a fazer parte da linguagem oficial da teologia cristã. Foi ele que introduziu a palavra “Trinitas”, como complemento da “Unitas”. Segundo Tertuliano, Pai, Filho e Espírito Santo são um só Deus porque uma só é a substância, um só estado (status) e um só poder. Mas, por outro lado, distinguem-se, sem separação, pelo grau, pela forma e pela espécie (manifestação). Tertuliano introduz assim o termo “pessoa”, (persona), para significar cada um dos três, considerado individualmente.

 

[4] Apesar de distintas uma da outra nas suas relações de origem (como o Quarto Concílio de Latrão (Concílio de Latrão pode designar um dos cinco concílios ecuménicos do cristianismo realizados na Arquibasílica de São João de Latrão, em Roma: ) declarou, "é o Pai quem gera, o Filho quem é gerado e o Espírito Santo quem realiza"),

 

[5] O Monarquianismo Dinâmico eleva a razão acima do testemunho da revelação bíblica no que concerne à trindade. Segundo essa corrente teológica Cristo não é Deus, o Espírito Santo não é Deus, com isso minam a coluna teológica da doutrina bíblica da salvação

[6] Tertuliano era Africano, isto é, um cidadão da África. Seu nome era Quintus Septimius Florens Tertulianus. Todo historiador que se aventurar em pesquisar o conteúdo biográfico na antiguidade perceberá, logo de inicio, as dificuldades significativas na tentativa de reconstrução precisa dos fatos. Por isso, sobre Tertuliano, não conhecemos “exatamente” as datas de seu nascimento e de sua morte. No entanto, entre a maioria dos historiadores

eclesiásticos existe um “consenso”. Ao que parece, Tertuliano nasceu entre ano 150-155 d.c, e morreu em 220 d.c O mesmo teria se convertido ao evangelho em 195 d.c tendo desenvolvido seu “ministério” por á proximadamente vinte cinco anos. Tertuliano nasceu em

Cartago no norte da África. A cidade de Cartago era uma província colonizada  pelos romanos, situada a onde hoje é conhecido como Tunísia.Seu pai (pagão) era um subalterno no exercito carteniense – Fonte

http://www.monergismo.com/textos/biografias/pensa-teo-Tertuliano_Elias-Gomes.pdf

[7] Bíblia Almeida Revista e Corrigida

[8] Biblia – Nova versão internacional

[9] É a crença unicista de que Deus se manifestou em carne (João 1:1; João 1:18) e não três pessoas distintas.

O termo sabelianismo deriva de Sabélio, um padre e teólogo do século III d.C. e defensor da tese. Ele foi um discípulo de Noeto, motivo pelo qual os seguidores desta crença são chamados nas fontes patrísticas de noecianos. Já Tertuliano batizou-a de patripassianismo.

 

[10] Apesar do carácter de Ário ter sido severamente acusado pelos seus opositores, Ário segundo registros parece ter sido um homem de um caráter ascético, de moral pura, e de convicções bíblicas.

Em 318 houve uma discussão entre o Bispo Alexandre de Alexandria e Ário, porque Ário acusava Alexandre de Sabelianismo. Num Concílio que Alexandre convocou em seguida, Ário foi então condenado. Ário tinha no entanto numerosos apoiantes e a disputa espalhou-se desde Alexandria por todo o Oriente. Ao mesmo tempo, Ário encontrou refúgio e o apoio de Eusébio de Cesareia..

[11] . Com esta linha de pensamento, o historiador H. M. Gwatkin afirmou, na obra "The Arian Controversy": "O Deus de Ário é um Deus desconhecido, cujo ser se acha oculto em eterno mistério.

 

 

Contato

J A I M E B E R G A M I M

jaimebergamim@bol.com.br e jaimebergamim@gmail.com.br

Fone: XXX (41) 3537.3738
tuitter:
@bergamimjaime
http://minist-jaimebergamim.webnode.com.br
Site da Igreja:
http://igrejaaltodacruz3.webnode.com

Pesquisar no site


A terceira idade; por que devo me preocupar se sou apenas um jovem.

Veja as causas

pbjaimebergamim.webnode.com.br/news/a-terceira-idade-eu-vou-chegar-la/

ORE E DIVULGUE NOSSO SITE

Crie um site gratuitoWebnode